quarta-feira, 4 de abril de 2012

Cazuza completaria 54 anos hoje

Se estivesse vivo Agenor de Miranda Araújo Neto o Cazuza estaria completando hoje 54 anos. Exemplo maior de coragem no mundo das celebridades nacionais, ele foi o primeiro famoso brasileiro a assumir publicamente que era portador do vírus HIV, doença maldita que levou outro ídolo de nossa juventude, o igualmente genial Renato Russo.

Hipocrisia era uma palavra que não existia no mundo de Cazuza. Corajoso, assumia as consequências de seu modo de viver e expunha suas opiniões sem temor de repressão futura. Coisa rara no mundo artístico atual em que vivemos num mundo de certinhos e caretas. Cazuza não se importava em falar de sua sexualidade, de seu tratamento, de suas decepções, de sua relação com as drogas, de sua vida simplesmente roqueira. A morte precoce, aos 32 anos, o tornou mito.

Mito este recriado e repetido nas ondas da indústria cultural, à qual seu nome está impregnado. Mas suas músicas não apenas embalam amores cheios de suspiros como também retumbam um posicionamento político diante do caos chamado Brasil. Nem que a política seja feita por meio do “desbunde”, que ele e seu produtor, Ezequiel Neves, souberam exercer como ninguém.

Poeta de sua geração, alcunha mais do que apropriada para um artista de seu tamanho, Cazuza resumiu em sua curta e perene obra os desejos e os anseios da juventude de seu tempo. Juventude que buscou uma ideologia pra viver.

0 comentários:

Postar um comentário