segunda-feira, 30 de abril de 2012

CORRIDA DOS MALAS



O atletismo é realmente uma atividade tão importante para a vida e para saúde que os político$ a cada  4 anos disputam a “corrida dos malas”.  Já se sabe que essa corrida não trará boa vida e nem saúde para o povo, mas como todo torneio, a reta final é o momento mais importante porque é onde se definem detalhes preciosíssimos para a manutenção ou não dos “atletas” no podium.




Há exemplo de políticos que passam 1095 dias dos 1460 que o povo lhes dá para trabalhar e cumprir com seus compromissos e promessas de campanha sem fazer absolutamente nada, e nos últimos 365 dias, as vésperas da eleição, começam a querer mostrar algo e tentar vender a imagem que o povo não viu durante os 3 anos que se passaram despercebidos, acreditando que o povo tem memória curta e que eles podem continuar fazendo e acontecendo do jeito que bem quiserem. E o caso de Capanema, inaugurando obras a qualquer custo, feito as pressas.  Nas periferias não foi feito nada é só ruas esburacadas, lama. No comércio qual a novidade? cadê as indústrias e empresas prometidas, cadê os novos empreendimentos para a Capanema? O que melhorou na saúde? É tanto carapanã que nem dentro das casas as pessoas podem ficar. Você chega a um posto de saúde não tem médico, vai pra UPA eles te mandam voltar porque só urgência e emergência, ou seja, vc não pode adoecer, você tem que se quebrar pra poder ser atendido, é como diz a frase do Face book “Em Capanema adoecer é para os fracos, aqui você tem é que se quebrar”.





Não é mais possível que tenha políticos que ainda pensem assim. É uma postura ultrapassada, arcaica que desabona a Inteligência de cidadãos e cidadãs que a cada dia estão mais conscientes do seu papel na sociedade e que não estão dispostos a continuar sendo enganados. Pare. Pense.   

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Remo vence o Águia no sufoco e fica próximo de conquistar o 2º turno

Mais de quatro mil torcedores viram o Remo vencer o Águia por 1 a 0, em Marabá (PA), no estádio Zinho Oliveira, neste domingo, dia 22. O time da capital começou mal, mas conseguiu abrir o placar com Fábio Oliveira, logo no inicio da partida, depois de jogada ensaiada com Magnum. Depois disso, o Águia bem que tentou, mas parou em Adriano Paredão, que não deixou passar nada e fez defesas milagrosas. 

Com a vitória, o Remo pode até perder por um gol de diferença que conquista o segundo turno do Campeonato Paraense 2012 e, de quebra, se aproxima da vaga para a Série D do Campeonato Brasileiro, fazendo com que o time tenha calendário durante o ano. Ao Águia, resta tentar reverter a vantagem remista na próxima partida que será em Belém, no próximo domingo, dia 29.

Operação realiza 31 autuações por poluição sonora

A Polícia Civil divulgou nesta segunda-feira (23) os resultados finais da operação “Angerona”, de combate à poluição sonora, na região metropolitana de Belém. Realizada neste final de semana, a ação policial resultou em 31 autuações de proprietários de estabelecimentos, aparelhagens sonoras e veículos particulares. Estiveram em atuação policiais civis, da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (Dema), e militares do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), da Polícia Militar, que percorreram mais de dez bairros, como Guamá, Jurunas, Terra-Firme, Marambaia, distritos de Icoaraci e Outeiro, e município de Ananindeua. Os procedimentos foram encaminhados para a Dema onde foram lavrados TCOs (Termos Circunstanciados de Ocorrência) pelo delito ambiental.

Na noite de sábado, a equipe policial comandada pela delegada Virgínia Nascimento procedeu à autuação de 18 locais como bares, residências e veículos em situação de poluição sonora. Os policiais flagraram o condutor de um carro particular com equipamento de som instalado no porta-malas do veículo em volume acima do permitido, em frente a uma loja de conveniência, no conjunto residencial Maguary, em Ananindeua. Os policiais apreenderam a máscara do equipamento de som do carro. Já, no domingo, durante a tarde e a noite, 13 intimações foram emitidas nos distritos de Outeiro e Icoaraci.

De acordo com o delegado Waldir Freire, da Dema, responsável pela coordenação da operação no domingo, os principais problemas verificados quanto à poluição sonora ocorreram em Outeiro. Conforme o delegado, um dos problemas verificados foi o tráfego indisciplinado de motos, principalmente de condutores de mototáxi, no calçadão destinado aos banhistas. Para o delegado, será necessário realizar ações mais frequentes no local para disciplinar o tráfego de veículos no local. Ainda, durante a operação, na área da orla de Icoaraci, em um restaurante, uma banda tocava ao ar livre incomodando a vizinhança. O proprietário alegou que não sabia que era preciso obter licença (alvará) para contratar a banda no local. O local foi autuado por poluição sonora. A operação vai prosseguir em outras áreas da região metropolitana com objetivo de reprimir a incidência de poluição sonora. O nome "Angerona", que denomina a operação, é uma referência à deusa romana do silêncio. (Ascom Polícia Civil)

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Lia Sophia no programa do Jô

Foto: Maurício Santana
Nesta 2ª feira (16/04 – 00h40 – já na madrugada de 3ª feira), o PROGRAMA DO JÔ / REDE GLOBO entrevista a cantora Lia Sophia, a atriz Giovanna Ewbanke o escritor João Paulo Cuenca. (*) MÚSICA - a cantora Lia Sophia faz sucesso com a música Ai, Menina! Nasceu em 78, na Guiana Francesa, foi registrada em Cayena e, ainda criança, ao chegar ao Brasil, o pai dela a registrou novamente. 

Foi frentista, vendeu enciclopédia Barsa. O primeiro lugar em que cantou foi num bordel. E só descobriu isso quando chegou lá, mas as gorjetas eram tão boas que foi ficando. (*) 

TEATRO - a atriz Giovanna Ewbank, que foi modelo e estreou na TV em "Malhação", faz agora sua primeira peça profissional, "O Grande Amor da Minha Vida", que trata das idas e vindas dos relacionamentos amorosos. Giovanna é casada com o ator Bruno Gagliasso e vai contar curiosidades sobre sua família, de origem escocesa. 

LITERATURA - João Paulo Cuenca estudou economia, mas era péssimo e decidiu se tornar escritor. Cuenca estudou com freiras, de quem costumava roubar os romances de Rubem Fonseca para ler escondido. Ele vai falar de sua carreira literária, sua participação no programa "Estúdio I", de Maria Beltrão, e da coletânea de crônicas "A última madrugada", que está lançando pela Cia. das Letras.
Mais informações: http://www.programadojo.com.br

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Capanema, cidade pólo?

Capital da Mulher Bonita, Terra do Cimento, Cidade Pólo da região Nordeste do Pará, todas essas são qualidades desta importante cidade da região e do Estado.

Fundado no sítio Arapeua, marco inicial do povoamento, seus primeiros habitantes foram naturais do próprio Estado.

As injunções políticas da época fizeram com que, em 1900, fosse extinto o Município de Quatipuru e seu território anexado ao dos municípios de Salinópolis e Bragança. Quanto à restauração, ocorreu em 1902, ano em que foi criado o distrito de Capanema. A partir de 1908, a sede do Município de Quatipuru passou a denominar-se Siqueira Campos, voltando à primitiva denominação dois anos depois.

Em 1938, o topônimo foi mudado para Capanema.

Gentílico: capanemense (Fonte: IBGE).

A origem do nome Capanema se deu por ocasião da construção da rede telegráfica construída pelo engenheiro Guilherme Schüch, o barão de Capanema, mineiro da freguesia de Antônio Pereira, município de Ouro Preto, nascido em 17 de janeiro de 1824, filho de austríacos. Estudou engenharia na Escola Politécnica de Viena e voltou ao Brasil com todas as credenciais que a moderna formação científica lhe permitia. Sob os auspícios do imperador, em 11 de maio de 1852, fundou o Telegrapho Nacional, do qual foi o primeiro e único diretor. O nome do rio Capanema foi dado também em sua homenagem, pois era na beira do rio que Guilherme Schüch e sua equipe paravam para descansar nos intervalos de trabalho. 

Situada a 160 km de Belém com acesso pela rodovia (BR 316), e o município mais desenvolvido da região bragantina no nordeste paraense. Aqui está instalada a primeira e maior fábrica de cimento do estado (a CIBRASA). Capanema é a cidade que possui melhor desenvolvimento econômico da região bragantina, isso pode ser comprovado pelo pib per capita que está acima da média regional. Pórem ainda existem grandes problemas na infraestrutura local, como pavimentação de vias, esgoto e abastecimento de água.

É considerada uma cidade-pólo pela sua localização geográfica, possui um comércio capaz de atender a vários municípios da região. Inúmeros consumidores vindos desses municípios vizinhos aquecem a economia local que a torna o principal centro comercial da região.

Comentário

Capanema foi a primeira cidade do Pará e uma das 43 do Brasil, a terem o voto biométrico. Onde o eleitor foi reconhecido na seção eleitoral pela digital e pela foto. Na hora do voto, a confirmação da identidade do eleitor é automática, com a simples leitura de sua impressão digital. 

Capanema, já teve ao longo de sua história política 5 deputados estaduais e um federal. Atualmente, possui apenas um parlamentar. Com todo esse aparato, e levando em consideração que um parlamentar ficou nada menos do que 5 mandatos no legislativo estadual, ou seja 20 anos, não se vê grandes benefícios, como é o caso das ruas da periferia da cidade atualmente. Os que se propuseram a representar essa cidade e foram respaldados com a confiança do povo se preocuparam apenas com seu crescimento econômico, ou seja, utilizaram-se da fé do povo para seus objetivos pessoais.

Campus Universitário, IML, Escolas Técnicas e Profissionalizantes, entre outros, passam bem pertinho e o povo de Capanema, pergunta: Será que o esforço e disputas pela manutenção das oligarquias locais são mais importantes do que o esforço para barganhar benefícios para os capanemenses? 

Aos olhos do povo e pela “importância” que Capanema tem, ganhar um mastro pela passagem dos 100 anos de existência é muito pouco, principalmente para uma cidade que já deu tantos frutos e oportunidades para muita gente.

2012 é ano eleitoral, e o problema não está nos malas que agente botou lá e sim no voto que agente deposita na urna. Consciência é tudo (na hora de votar) pois o futuro da gente depende da gente.

Governo interino intensifica arbitrariedades em Santa Luzia do Pará.

Devido a construção do Posto de Saúde da Família Na Vila da Estiva, iniciada ainda na administração do Prefeito Louro do PT, diga-se de passagem. As atividades de atendimento à população, eram desenvolvidas em um prédio alugado de propriedade do Sr. Valdo que é morador da Vila, no entanto nos chega a informação de que o referido espaço havia sido desativado pela administração interina que esta gerenciando o município de Santa Luzia do Pará desde o dia 27 de fevereiro do corrente ano.

Os gestores de plantão alugaram outro imóvel, onde esta sendo realizado, de forma precária, o atendimento aos usuários locais, aluguel supostamente intermediado pelo Sr. Varlindo que foi um dos principais cabos eleitorais de oposição durante a administração de Lourival Fernandes de Lima do PT, afastado do cargo recentemente por um golpe cinematográfico articulado pelos Vereadores de oposição. De acordo com informações Varlindo foi  premiado com a locação de seu carro (SIENA) pela Secretaria de Saúde, que por sua vez, desfez por motivos obscuros, o contrato com o Sr. Índio, proprietário do automóvel que transportava pacientes da vila em casos de emergência e demais situações.    

Local alugado pela administração  
O Correio Luziense, realizou uma visita na Comunidade da Estiva na Pará/Maranhão e constatou  de perto a denuncia que foi feita por moradores que estão bastante revoltados com a falta de respeito da administração que entrou pela janela à apenas 45 dias. 

Outra revolta que observamos na população, foi a demissão sumária da técnica de enfermagem Rosiane Lucena (a Rosa), moradora da comunidade que trabalhava a 3 anos e 9 meses no posto e foi substituída por outra funcionária concursada que segundo informações, contra a própria vontade da servidora que trabalhava na Unidade Básica de Saúde (UBS II), e agora terá perdas com o deslocamento.   
  
Cabe agora ao Ministério Publico Estadual, através da Dra. Adriana Passos, da comarca de Santa Luzia do Pará, apurar os fatos e dar a resposta necessária aos moradores da Vila da Estiva, que ameaçam fechar a BR 316 caso as arbitrariedades não parem na comunidade.~
Fonte: Correio Luziense

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Primeiro homem no espaço


A bordo da nave espacial Vostok, o soviético Yuri Gagarin torna-se o primeiro homem a viajar no espaço. Durante o voo, o piloto de provas e técnico industrial de 27 anos, também realizou a proeza de orbitar à volta da Terra com a sua cápsula espacial durante 89 minutos, a uma altitude de 300 quilometros, guiada completamente com um sistema de controlo automático.

A única afirmação que se atribui a Gagarin durante este voo pelo espaço de uma hora e 48 minutos é "O voo procede de forma normal. Estou bem". Após o seu feito histórico, Gagarin tornou-se uma celebridade mundial e foi condecorado com a Ordem de Lenine.

Morreu em 1968, em estranhas circunstâncias, durante um voo de prova rotineiro de uma aeronave.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Exploração de caça-níqueis é autorizada desde 2000 em Goiás

No ano 2000, o então governador Marconi Perillo (PSDB) aprovou uma lei e decreto que abria brecha para que o governo de Goiás contratasse empresa para explorar até mesmo caça-niqueis. 

A principal beneficiada seria a empresa Gerplan, que pertencia ao contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. O governo de Goiás argumenta que não pôs a norma em prática por recomendação dos próprios promotores. Mas até hoje, uma ação do Ministério Público tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) tentando anular a lei.

Leia na matéria do Globo:

BRASÍLIA – Uma ação iniciada pelo Ministério Público de Goiás tramita desde 2005 no Supremo Tribunal Federal (STF) tentando anular lei daquele estado que autoriza a exploração de loterias instantâneas. Naquele ano, chegou ao ministro Cezar Peluso, que, como relator escolhido para o caso, deixou o processo parado por cinco anos, até que ele foi redistribuído e caiu nas mãos do ministro Gilmar Mendes – que mandou arquivar a ação do MP. Sem entrar no mérito sobre a validade ou não da legislação estadual, Gilmar tomou a decisão com base em falhas processuais. A lei e o decreto que regulamentou essa norma foram assinados, em 2000, pelo então governador Marconi Perillo (PSDB), eleito para novo mandato em 2010. A legislação abria brecha para que o governo contratasse empresa para explorar até mesmo caça-niqueis, segundo promotores. A principal beneficiada seria a empresa Gerplan, que pertencia ao contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.


Apesar da lei aprovada e do decreto assinado, Marconi Perillo não levou adiante a exploração das loterias instantâneas. O governo de Goiás argumenta que não pôs a norma em prática por recomendação dos próprios promotores, que advertiam sobre a existência de brecha na lei para a exploração de caça-niqueis. Ainda assim, o processo judicial se arrasta até hoje, e, agora, a Advocacia Geral da União (AGU) pede ao ministro Gilmar Mendes que reconsidere a decisão.


AGU diz que houve fraude processual

A Gerplan – Gerenciamento e Planejamento Ltda. é citada em relatório da Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, como uma das empresas que serviam às atividades de Carlinhos Cachoeira, preso desde 29 de fevereiro sob a acusação de liderar esquema de exploração de jogos de azar em Goiás. De acordo com o relatório da PF, a Gerplan já está desativada. O artigo 4º do decreto 5.282 prevê que, entre as modalidades de loteria que poderiam ser exploradas em Goiás, estava a loteria de terminal ou videoloteria, “que consiste na utilização de equipamento ou terminal de apostas, dotado de vídeo, capaz de demonstrar o resultado de combinação de números, palavras, símbolos ou figuras”.

A polêmica foi parar no STF em 2005, depois que o MP recorreu ao Tribunal de Justiça de Goiás para questionar decisão da primeira instância, que, em 2002, considerou válida a norma editada por Perillo. E só subiu ao STF porque a AGU entrou como parte interessada, uma vez que a Constituição permite exclusivamente à União legislar sobre a exploração de loterias. Em 2007, a Suprema Corte reforçou a lei, ao julgar procedente Ação Direta de Inconstitucionalidade impetrada pelo mesmo MP de Goiás, contra todas as leis estaduais que versavam sobre jogos.

Em 2010, cinco anos após chegar ao STF, o relator da ação, ministro Cezar Peluso, assumiu a presidência da Corte. O processo foi redistribuído, então, ao ministro Gilmar Mendes. O processo passou mais de um ano com o procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Ele recebeu os autos em abril de 2010 e os devolveu ao STF em dezembro do ano seguinte.

Em 2 de fevereiro deste ano, Gilmar Mendes arquivou a ação ao encontrar um erro processual do MP, que os promotores não reconhecem. Em sua decisão, o ministro do STF explica que o Ministério Público perdeu o prazo para recorrer da decisão de primeira instância. O Ministério Público foi intimado da sentença em 20 de agosto de 2002, e teria 30 dias para apresentar o recurso, carimbado no protocolo em 25 de setembro. Teoricamente, o prazo venceu.

“Verifico que o recorrente foi intimado da sentença em 20 de agosto de 2002, conforme a certidão de folhas 622. No carimbo de protocolo do recurso, no entanto, consta a data de 25 de setembro de 2002, posterior ao término do prazo de 30 dias. (…) Notório, portanto, a intempestividade do recurso, tendo a sentença transitado em julgado”, afirma o ministro Gilmar Mendes na decisão.

Mas o Ministério Público e o advogado-geral da União, Luis Inácio Adams, argumentam que houve erro ou fraude processual, no âmbito da Justiça de Goiás. No agravo, encaminhado ao ministro Gilmar Mendes, em fevereiro, a AGU afirma que a ação do MP já justificava a presumida perda de prazo.

A ação relata que o recurso teria sido impetrado em 19 de agosto de 2002, portanto, no prazo regimental. A AGU reproduziu cópia do recibo manuscrito, assinado por um servidor do cartório identificado apenas como “Wilson”, com a data de 19 de setembro daquele ano. E alega que o argumento da perda de prazo é “inverídico”.

“Assim, demonstrando o equívoco/falsidade da certidão que ensejou a decisão ora recorrida, merece ser provido o presente agravo, julgando-se tempestiva a apelação interposta pelo MP/GO. Caso assim não entenda, requer que o feito seja conduzido ao plenário do STF, de maneira que o presente agravo seja provido”, conclui a AGU, em agravo assinado por Adams e os advogados Grace Fernandes Mendonça e Alisson da Cunha Almeida.

O governo de Goiás assegura que não há exploração da loteria instantânea, apesar do arquivamento da ação do MP.

A assessoria de imprensa do Supremo Tribunal Federal informou que o ministro Gilmar Mendes terá que decidir sobre o caso, por isso, não pode se pronunciar fora dos autos. A AGU também se limitou a confirmar que atua no caso e que defende os argumentos presentes na ação. Fonte: Site Brasil247

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Desalojamento na Educação Luziense

CORREIO LUZIENSE: Nossa equipe flagrou na tarde de hoje(09), agentes do governo interino que administra, esperamos nós que por pouco tempo o município de Santa Luzia do Pará, recolhendo moveis e objetos que encontravam-se no prédio que servia atualmente de depósito da Secretária Municipal de Educação (SEMED), situado na rua Marechal Rondon, centro do município.

O proprietário do imóvel, o Sr. Pedro Tabosa, tomou  tal decisão, depois de tentar por diversas vezes receber a importância de aproximadamente R$ 2.676,00 de acordo com informações que chegaram até a nossa edição, o que não conseguiu receber até o presente momento, por não rezar na cartilha do time que esta dando as cartas na Prefeitura de Santa Luzia, diga-se de passagem não é o Zaqueu Salomão.

Em entrevista concedida a Nossa equipe, o proprietário do imóvel afirmou que o referido desalojamento esta acontecendo por não haver a renovação do contrato de locação que esta vencido, nem a quitação do que ainda esta pendente de pagamento.

Isso é apenas a ponta do iceberg das atrocidades que estão acontecendo no município, desde o afastamento do Prefeito Louro (27/02), e das malfeitoria que ocorrem em todos os setores da administração publica.

Novos desalojamentos podem acontecer em Santa Luzia do Pará, principalmente na saúde, com a falta de pagamento dos prédios que funcionam os Postos de saúde da família da Zona Urbana, que também são alugados.

domingo, 8 de abril de 2012

Ele ressuscitou...

"Ele não está aqui, mas ressuscitou" (Lucas 24:6).Jesus ressuscitou! Ressuscitou!

Era um domingo de madrugada, e algumas mulheres iam visitar o tumulo de Jesus. Elas foram bem cedo ao sepulcro, levando aromas. A tumba era fechada com uma enorme pedra, que dependia de vários homens para fazê-la rolar e abrir.

Ao chegarem ao sepulcro tiveram uma grande surpresa, a tumba estava aberta e o corpo não estava mais ali. Dentro estava um moço, de roupas brancas, longas, assentado. Elas sentiram medo. Então ele disse: “Não vos assusteis; buscais a Jesus o Nazareno, que foi crucificado; Ele não está aqui, porque já ressuscitou; eis o lugar onde o puseram. Mas ide e dizei a seus discípulos, e a Pedro, que Ele vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis, como Ele vos disse” (Marcos 16:6 e 7). 

O sacrifício de Jesus nos salvou e nos redimiu de todos os pecados. Jesus derramou o seu sangue para livrar da morte todos os que através dele viessem a Deus. Mas o mais importante da Páscoa, é que nela Jesus ressuscitou dos mortos. É na páscoa que recebemos nossa maior vitória como filhos de Deus! Muitos líderes religiosos morreram e seus restos mortais continuam no túmulo; mas o túmulo de Jesus está vazio. Podemos celebrar a verdadeira Páscoa, porque sabemos que Cristo não permaneceu morto, mas ressuscitou ao terceiro dia!! Hoje Ele vive ao lado do Pai, no céu. Jesus Cristo Ressurreto é a verdadeira Páscoa! Aleluia!

sábado, 7 de abril de 2012

Juvenal Pires. Feliz aniversário

Desejamos nossos sinceros votos ao companheiro Juvenal Pires, que completou mais um ano de vida neste sábado de aleluia (07), companheiro este que é um dos principais pré-candidatos a Câmara Municipal de Capanema pelo Partido dos Trabalhadores, instituição que presidiu com maestria em 2004.

Juvenal é militante histórico do PT/Pará, onde foi Secretário Executivo de 1989 a 1992, função esta que exerceu também durante a sua passagem em diversas Instituições do Nordeste Paraense, onde podemos destacar o Fórum da Amazônia Oriental – FAOR em 1992, a Fase/Capanema, de 1994 a 98, a Fanep de 2000 a 2008 e recentemente a Prefeitura Municipal de Santa Luzia do Pará, na gestão do Prefeito Louro do PT.

Dirigente de fácil transito entre as forças politicas do PT local, Juvenal destaca-se pela sua atuação junto aos movimentos sociais do município, principalmente nas áreas de cultura e comunicação.

Que você caminhe sempre em busca do sucesso, alcançando um futuro amplo, se aperfeiçoando e prosperando ainda mais. Te desejamos simplesmente um FELIZ ANIVERSÁRIO e boa sorte em sua missão, neste ano de 2012.

Promotor de Salinas pede anulação do concurso da Prefeitura

O Jornal O Liberal estampou novamente “Em poucas linhas”, Coluna Repórter 70, edição do dia 04 de Abril, o pedido de anulação do Concurso Público organizado pela Prefeitura de Salinópolis através da Faculdade Integrada Carajás(FIC). 

Leia na íntegra: “O promotor de Salinas, Bruno Beckembauer, entrou com pedido de anulação do concurso para vagas na administração municipal, por fortes indícios de fraudes”.

Em outro expediente ao juiz, o representante do MP denuncia fraudes em várias licitações feitas pela Prefeitura, inclusive na construção de uma pracinha no Maçarico.

Os Vereadores da Câmara de Salinópolis, discutirão a anulação do Concurso, bem como a situação do grande número de servidores contratados pela Prefeitura e, também a situação do repasse do Fundeb que ultrapassa mais de 34 milhões de Reais para a Secretaria de Educação. Por Clic Salinas.

A quem interessa a guerra dos números?

Por Ana Julia Carepa:
(Clique na imagem para ver a planilha do saldo encontrado pelo nosso governo em 02/jan/07).

Tenho dito no meu twitter que há contradições gritantes entres as informações sobre os números deixados pelo nosso governo e os que o atual governo afirma ter encontrado. E como são números muito divergentes, me indago a quem interessa esse crime de criar uma falsa guerra de números, dando a impressão – e entrevistas – à sociedade como se o Pará estivesse em situação calamitosa. Não está e é bom comparar como recebemos o Estado em 2007 e como deixamos, em 31 de dezembro de 2010.

Vejamos alguns itens, pra efeito de comparação:
Em 1º de janeiro de 2007, recebemos no caixa do governo R$ 181 mil. Mas o atual governo diz que deixou R$ 181 milhões. E como não corrigiu nas demais entrevistas, tendo a acreditar que o nome disso não é erro.

Nesse mesmo 1º de janeiro de 2007, recebi o Estado com R$360 milhões de dívidas;
Deixei o governo com R$ 218 milhões, das seguintes contas: R$ 80 milhões, entre saldo da conta única e de outras contas; R$ 70 milhões de recursos do FPE (Fundo de Participação dos Estados) + R$ 68 milhões do FUNDEB, referente a dez/2010;

Ou seja: deixamos em recursos 120 vezes mais pra pagar dívidas do que foi deixado em 2006 pelos tucanos;
Com um detalhe fundamental: quando assumimos, em 1º de janeiro de 2007, o governo tucano já havia antecipado os recursos do FUNDEB e do FPE. Já tinha utilizado esses recursos, impossibilitando que nós o utilizássemos;

Tenho lido entrevistas em que o atual governo afirma ter encontrado o Pará com R$ 750 milhões de dívidas. Acredito que essa matemática é da mesma matriz que equiparou 181 mil a 181 milhões de reais. Não é possível acreditar numa potoca dessas;

A margem de endividamento do estado é pequena (43%) e é bom lembrar que já estão negociadas com a STN- Secretaria do Tesouro Nacional diversas operações de crédito que darão um enorme impulso ao desenvolvimento econômico e social do Estado, entre as quais: o Ação Metrópole, já iniciado pelo nosso Governo com a Arthur Bernardes, a Dalcídio Jurandir, os elevados da Júlio Cesar e já tendo garantido R$ 460 milhões junto à JICA (Japan International Cooperation Agency),que aprovou somente dois projetos no Brasil, o do Pará e o de São Paulo. Sem contar que o nosso governo já negociou os PACs saneamento, rodovias e etc.

Além do que ficou em caixa e do que está negociado, tem mais de reservas: R$ 91 milhões do 366, o PEF 2 do BNDES. Dos R$ 366 milhões, utilizamos R$ 274 milhões, restando R$ 91 milhões. E mais este montante: R$ 185 do Pró-PAC; + R$ 30 milhões do FCVS que a Cohab passará como ressarcimento ao Estado. Já falei dos R$ 460 milhões do Ação Metrópole e tem centenas de milhões de convênios e recursos federais que conseguimos e que ficou para a população do Pará.

Ou seja, dinheiro tem. Para o presente e para o futuro. Agora, é trabalhar. Sem armar palanque com falsas guerras de números. Até porque há números para todos os gostos. E fica a pergunta, já feita por famosodetetive: A quem interessa o crime de forjar números irreais? E mais: por que motivos?

Voltarei a este assunto da guerra de números.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Belo Monte: operários podem grevar de novo ainda este mês

Operários de Belo Monte fecham rodovia
Os operários que trabalham na construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte voltaram aos canteiros de obras hoje, após suspender ontem a greve que começou na última quinta-feira, 29 de março. A suspensão da greve foi aprovada pelos trabalhadores após o Consócio Construtor de Belo Monte (CCBM) se comprometer a não demitir nenhum dos operários envolvidos na organização da greve.
Essa decisão dos trabalhadores, no entanto, não é final. No próximo dia 16, uma rodada de negociações será realizada entre os operários e o consócio para discutir a pauta de reivindicações. Se não houver avanço nas negociações, os operários paralisarão suas atividades novamente a partir do dia 18. Na pauta, os trabalhadores pedem melhorias em alimentação, transporte, segurança do trabalho, entre vários outros pontos.
“Nós incluímos também a reivindicação de plano de saúde para todos os funcionários, igualdade de salário entre todos os sítios de obras, o fim do desvio de função e o fim da perseguição, com a ameaça de demissão, aos trabalhadores que reivindicam seus direitos”, diz Francenildo Teixeira, um dos integrantes do comando de greve. Segundo o operário há, por exemplo, casos de carpinteiros trabalhando como pedreiros, ou soldadores nível 3 recebendo salário de soldador nível 1.
Polícia Militar é usada para intimidar trabalhadores grevistas
Outra reivindicação do comando grevista é a retirada da polícia do canteiro de obras. Para eles, a presença da PM é uma tentativa de intimidar a mobilização dos trabalhadores. “A polícia não devia estar aqui dando assistência pra uma empresa privada, não é função dela”, diz Francenildo. Desde o início da greve, a Polícia Militar faz escolta dos ônibus com os poucos trabalhadores que se dirigiam ao canteiro de obras. De acordo com os grevistas, a adesão dos trabalhadores chegou a 80% dos sete mil operários contratados pelo consócio.
Sindicato não representa os trabalhadores
Um dos problemas relacionado à organização dos operários em Belo Monte é a não representatividade do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada do Estado do Pará (Sintrapav). Apesar de todas as reivindicações, o sindicato não apoiou a greve dos operários e ainda tentou mobilizá-los para voltar ao trabalho, sem sucesso.
Um dos problemas enfrentados pelos trabalhadores foi uma declaração à imprensa de Wilmar Gomes dos Santos, presidente da Federação dos Trabalhadores na Indústria da Construção Pesada (Fenatracop), à qual Sintrapav é filiado. Wilmar disse, na última terça-feira, que os trabalhadores não estavam em greve, mas que a mobilização era de responsabilidade de movimentos sociais contrários à construção de Belo Monte.
Sem o apoio do sindicato, o comando de greve se formou a partir de uma organização independente, com representantes de cada um dos cinco sítios de construção de Belo Monte. Por isso, a rodada de negociação do próximo dia 16 envolve três lados: o Consócio, o Sindicato e o comando grevista.
Justiça impede acesso de movimento social a canteiro de obras
No meio de toda a tensão gerada pela mobilização trabalhista dos operários de Belo Monte, o juiz Wander Luís Lobato, da Comarca de Altamira, expediu um interdito proibitório que impede quatro integrantes do movimento Xingu Vivo para Sempre, que se opõe à construção da usina, de se aproximar dos locais das obras.
O juiz decidiu por essa liminar a partir de uma ação do Consócio Construtor de Belo Monte(CCBM), na qual a empresa alega que os integrantes do movimento teriam praticado, no decorrer da paralisação dos trabalhadores, “diversos atos ilícitos lesivos não só ao Autor [CCBM], como também à segurança dos colaboradores (…) e dos moradores da região de Altamira/PA”. Em sua decisão, o juiz diz que “há risco dos réus identificados e os não identificados, embaraçar o livre exercício da posse que exerce sobre os imóveis necessários ao projeto intitulado Usina de Belo Monte”.
Em seu site na internet, o movimento Xingu Vivo diz que as acusações do CCBM, na qual o juiz se baseou para conceder a liminar, são “fantasiosas”. Das quatro pessoas que são alvos da ação, três não estavam no local onde os trabalhadores em greve se reuniram para protestar. O único presente era o jornalista Ruy Sposati, que cumpria com sua função na cobertura dos acontecimentos da paralisação.
“Essa decisão da justiça viola o direito dos integrantes do movimento Xingu Vivo de se locomover livremente e ainda presume que existe uma intenção de crime por parte dessas pessoas”, diz a advogada da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH), Roberta Amanajás. A SDDH entrará com uma contestação da decisão liminar do juiz e também com uma ação de reparação por danos morais contra o Consócio Construtor de Belo Monte pela tentativa de criminalizar o movimento Xingu Vivo e seus integrantes.

Por Jones Santos/Comunicação SDDH
Fotos: Ruy Sposati/Xingu Vivo para Sempre 

Jornalismo econômico: O país merece desculpas

Durante décadas, o discernimento histórico da sociedade brasileira foi entorpecido por um barbitúrico de alta toxicidade chamado 'jornalismo econômico'. Entre outras, sua especialidade era convencer o país de que o assim chamado 'custo Brasil' interpunha-se como um Everest no acesso dos nativos aos bens da civilização. Somente a entrega dos destinos nacionais à eficiência emanada dos livres mercados destravaria a catraca de acesso ao futuro virtuoso.

Desregulação era a palavra-chave. Dois obstáculos se superpunham: os direitos trabalhistas resumidos no pejorativo bordão da 'herança getulista' e os direitos cidadãos, consagrados na Constituição de 1988, que universalizou 'coisas' como licença maternidade, direito à saúde, aposentadoria rural, entre outras temeridades e precipitações. Os especialistas em suas colunas diárias e emissões intermitentes não poupavam os incrédulos e/ou jurássicos: o país não cresceria, os capitais não ingressariam, o mel não jorraria nos rios tropicais enquanto a arquitetura de proteção do trabalhador e a cidadania precoce não fossem erradicadas do leito pátrio.

Em 2002, nas eleições presidenciais, a sociedade arriscou um palpite diferente. O resto é história. Mesmo sem uma ruptura linear com o receituário ortodoxo, o governo deslocou a ênfase das 'reformas' para o resgate do excluídos e a retomada da agenda do desenvolvimento, banida das prioridades nacionais.

Nesta 3ª feira, a Presidenta Dilma reduziu o custo das folhas salariais das empresas sem remover direitos constitucionais, nem afanar trabalhadores. Como? A retomada do crescimento criou mais de 15 milhões de novos empregos nos dois governos de Lula. Um mercado de consumo popular formado por 103 milhões de brasileiros redefiniu as bases do crescimento. A economia em ritmo de pleno emprego (hoje a taxa de desemprego oscila em torno de 5,5%, contra 9,5% em 2002) promoveu saudável formalização do trabalho precário.

Entre 2003 e 2010 o número de contribuintes da Previdência aumentou 16,8%. A arrecadação previdenciária e o aumento das contribuições sobre o lucro líquido das empresas elevaram a receita fiscal sem aumentar imposto. Foi isso que permitiu ao governo trocar a contribuição previdenciária das empresas dos atuais 20% da folha para um alíquota de 1% do faturamento - que implica redução de 0,5 ponto no custo previdenciário efetivo.

Inverteu-se assim a prescrição martelada durante 30 anos pelos canarinhos dos livres mercados na imprensa: em vez de sucatear a sociedade extraiu-se do crescimento e da disseminação de direitos as energias para cortar os custos e ampliar a competitividade. Há um leque de desafios ainda a vencer na construção de um novo ciclo de desenvolvimento. Mas nada afasta a percepção de que os dogmas embutidos na narrativa 'jornalística' dos anos 80/90 - entre eles o credo anti-estatal, o câmbio livre, a furiosa defesa da livre circulação de capitais e a panacéia dos juros altos associados às metas de inflação - incluem em sua composição doses variáveis de fraude ideológica, interesses endinheirados e genuflexão obsequiosa de profissionais da imprensa, repartidos entre a má fé, a soberba e a ignorância.

Trata-se de um antepasto incompatível com a renovação do cardápio de desenvolvimento brasileiro. É hora de uma autocrítica de profissionais e associações de classe. Pouca dúvida pode haver , cedo ou tarde, um escândalo vai desvelar a rede de 'Cachoeiras e Desmóstenes' nesse braço da desfaçatez midiática. Fonte:(fndc.org.br)

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Cazuza completaria 54 anos hoje

Se estivesse vivo Agenor de Miranda Araújo Neto o Cazuza estaria completando hoje 54 anos. Exemplo maior de coragem no mundo das celebridades nacionais, ele foi o primeiro famoso brasileiro a assumir publicamente que era portador do vírus HIV, doença maldita que levou outro ídolo de nossa juventude, o igualmente genial Renato Russo.

Hipocrisia era uma palavra que não existia no mundo de Cazuza. Corajoso, assumia as consequências de seu modo de viver e expunha suas opiniões sem temor de repressão futura. Coisa rara no mundo artístico atual em que vivemos num mundo de certinhos e caretas. Cazuza não se importava em falar de sua sexualidade, de seu tratamento, de suas decepções, de sua relação com as drogas, de sua vida simplesmente roqueira. A morte precoce, aos 32 anos, o tornou mito.

Mito este recriado e repetido nas ondas da indústria cultural, à qual seu nome está impregnado. Mas suas músicas não apenas embalam amores cheios de suspiros como também retumbam um posicionamento político diante do caos chamado Brasil. Nem que a política seja feita por meio do “desbunde”, que ele e seu produtor, Ezequiel Neves, souberam exercer como ninguém.

Poeta de sua geração, alcunha mais do que apropriada para um artista de seu tamanho, Cazuza resumiu em sua curta e perene obra os desejos e os anseios da juventude de seu tempo. Juventude que buscou uma ideologia pra viver.

Quilombolas fecham rodovia no MA contra a PEC 215

Na manhã de hoje, 4 de abril, cerca de 250 quilombolas bloquearam a MA 014, perto do quilombo do Charco, em São Vicente Férrer, no Maranhão. O grupo, com representantes de quase 20 comunidades quilombolas, está cercado pela polícia nesse momento, segundo informações de representantes da CPT que estão no local.

Cerca de 250 quilombolas de quase 20 comunidades do Maranhão bloquearam, desde a manhã de hoje, 4 de abril, a MA 014, em protesto pela titulação de suas terras, em repúdio à PEC 215, que transferiria do Legislativo para o Senado a competência para a demarcação de territórios indígenas, quilombolas e outros, e em protesto contra a ADIN 3239, Ação Direta de Inconstitucionalidade do decreto 4887/2003, que pode fazer comunidades de remanescentes de quilombo no país perderem um dos seus poucos benefícios, que é o reconhecimento de seus territórios.

O grupo está próximo à comunidade do Charco, em São Vicente Férrer (MA) e está cercado pela polícia desde o início da ocupação. Em 2010, um quilombola da comunidade do Charco foi assassinado e em 2011 uma liderança sofreu tentativa de assassinato, por causa da luta da comunidade pelo reconhecimento dos seus direitos. (Fonte CPT).

Ato em SP protesta contra privatização da TV Cultura

Cerca de 70 pessoas participaram na noite de ontem de um ato para protestar contra o que chamaram de privatização da TV Cultura.

O evento, que reuniu funcionários, ex-funcionários, sindicalistas, políticos e blogueiros, foi na sede do Sindicato dos Engenheiros de São Paulo.

A principal crítica foi para a parceira da TV Cultura com a Folha para a exibição do TV Folha

No ato, o professor de comunicação da USP Laurindo Lalo Leal Filho disse que parcerias como essa fazem com que a gestão da TV Cultura não seja criticada pela imprensa.

O protesto também criticou o desmonte da emissora e demissões recentes

Foragido de Capanema é capturado em Salinópolis

Um foragido do Presídio de Capanema foi apresentado ao delegado Saullo Patrício Andrade, na Delegacia de Salinópolis, nordeste do Pará, por uma guarnição de policiais militares. Ele foi detido após o recebimento de informação de que era foragido da Justiça de Capanema.
O delegado confirmou que ele é um assaltante com atuação em Capanema, onde foi preso e condenado judicialmente. "Após consulta ao Fórum de Capanema, constatamos que ele estava foragido", ressaltou o delegado.
O meliante praticou um roubo acompanhado de um comparsa e pelo crime acabou julgado e condenado. Na ocasião, ambos foram presos e estavam custodiados no Presídio Regional de Capanema, de onde ele aproveitou uma autorização judicial para saída temporária da cadeia e não mais retornou para continuar a cumprir a pena.
A prisão foi comunicada à Comarca de Capanema. O preso deverá ser encaminhado para aquela cidade para cumprir o restante da pena. 
(DOL, com informações da Polícia Civil).

Jatene ataca o salário dos trabalhadores em educação

Ao longo dos últimos anos vimos travando uma longa batalha contra os governos Ana Júlia e Jatene, que passa pela aprovação e implementação do PCCR, bem como, pelo pagamento do Piso. Nossa greve vitoriosa de 2011 nos levou a antecipação de nossa campanha salarial 2012, em busca do pagamento do Piso Nacional, bem como, nossa assembleia de saída de greve de 2011 condicionou-a a não iniciarmos o ano letivo de 2012 caso o governo não pagasse o Piso, impreterivelmente no mês de abril. 

É bem verdade que o governo pagou o novo Piso Nacional no mês de março, no entanto vem seguindo a mesma política de barbárie de outros governadores como Tarso Genro (PT) que declarou que não vai pagar o Piso no vencimento base e aprovou uma proposta de reajuste ao magistério do Rio Grande do Sul rebaixando o índice de correção do Piso para o INPC, que em média atinge 6% ao ano, bem abaixo dos 19% do Custo Aluno Nacional(PL 3776/08). Já o Parceiro de Jatene em Minas Gerais, Anastasia incorporou gratificações de escolaridade e magistério para pagar o Piso. Essas políticas afrontam os trabalhadores em educação e não trazem aumentos concretos de remuneração salarial.

Temos que nos armar contra o governo tucano, para assegurarmos a regulamentação das aulas suplementares, pois a mesma serve de base para todas as gratificações e correspondem a 24%. Persistindo nesta lógica, os próximos ataques de Jatene podem apontar para a incorporação das mesmas para garantir o Piso de 2013. O nosso Seminário do PCCR debateu uma proposta de reformulação do PCCR que aponta para o mínimo 1.3 Piso Nacional como vencimento base, o que na prática incorporaria as aulas suplementares e o abono fundeb (1 PSPN + 24% de aulas suplementares + abono FUNDEB) sem prejuízos na remuneração.

Sobre a portaria de lotação, o SINTEPP apresentou as reformulações necessárias à minuta do governo no sentido de avanços na lotação e não de retrocessos do que temos hoje; pontos que serão debatidos com a SEDUC e posteriormente apresentados a categoria, respeitado as posições aprovadas na última assembléia geral da categoria.
Mitos sobre o FUNDEB

O FUNDEB é um fundo criado para substituir o FUNDEF, onde o estado deposita automaticamente 20% do mesmo em uma conta estadual, assim como todos os municípios; e esses recursos voltam a essas unidades administrativas de acordo com o número de alunos matriculados. Como no estado do Pará, desde a criação do FUNDEB, o custo aluno não atinge o valor mínimo nacional, a União entra para complementar os recursos do estado.

Cabe ao governo do estado investir no mínimo 60% do Fundeb no pagamento do Magistério, mas não nos interessa fazer o debate de reajuste com o governo partindo deste patamar de financiamento, pois o estado tem recursos próprios que vão para alem do FUNDEB, pois na prestação de contas do conselho desse fundo o estado gastou 75,69% do orçamento para pagar o grupo do Magistério.

Afirmamos ainda que o Abono FUNDEB garfado pelo Jatene não tem relação com transferências da união ao estado, uma vez que o governo cumpre com o que determina a lei do FUNDEF sobre o pagamento dos nossos salários. 

Judiciário mais uma vez chancela manobras de Jatene para não cumprir a lei 

O mandado de segurança impetrado pelo SINTEPP contra o governador Simão Jatene em outubro passado, exigindo o pagamento integral do Piso Salarial Profissional Nacional, só ontem (28/03) foi julgado pelo Tribunal de Justiça do Estado; e infelizmente, a decisão judicial não foi favorável à categoria: o relator do processo desembargador Cláudio Montalvão em seu relatório votou pela improcedência do pedido de “Perda do Objeto” protocolado pelo Estado, mas foi vencido pela maioria dos desembargadores, que se manifestaram a favor do Estado.

A ação do SINTEPP deveria ter sido julgada ainda no período da greve para garantir o direito líquido e certo dos trabalhadores em educação, porém “coincidentemente” só ocorreu após a liberação do contracheque online neste mês. A decisão do judiciário ignorou ainda que o governo deve o retroativo referente a janeiro e fevereiro deste ano, que promete pagar parceladamente em setembro, outubro e novembro de 2012; ou seja, baseou-se numa declaração de intenção ou promessa de pagar o retroativo em meses futuros. 

O anúncio do pagamento do Piso dado pelo governo, na verdade, é mais uma manobra para desviar a atenção da sociedade para os reais problemas vividos por cada trabalhador, pois o mesmo está sendo pago com o uso do abono Fundeb, o que não representa ganho para a categoria. Mas o SINTEPP vai recorrer ao STJ uma não houve acordo do governo com o sindicato - há apenas uma ata informando o pagamento, mas no processo não há documento dando garantia de que o pagamento do piso ocorrerá.
Fonte: Sintepp

Governo Dilma agrada 77% dos brasileiros, aponta CNI/Ibope

SÃO PAULO - A popularidade da presidente Dilma Rousseff bateu os 77%, segundo apontou a pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira, 4. O levantamento mostrou que o índice de satisfação com o governo subiu 5 pontos percentuais em relação à última pesquisa, que mediu 72% de aprovação. A avaliação foi classificada como 'ótima' ou 'boa' por 56% dos brasileiros, mesmo resultado obtido na pesquisa anterior, em que Dilma bateu o recorde histórico da pesquisa CNI/Ibope para o primeiro ano de mandato.

A confiança dos brasileiros na presidente também oscilou: saltou de 68% para 72%, conforme apontou a pesquisa CNI/Ibope.
A pesquisa revelou também que mais da metade da população - 60% - considera que o governo Dilma está sendo igual ao do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

As notícias mais lembradas pelos pesquisados sobre o governo foram sobre políticas para as mulheres e viagens da presidente. Dos outros temas pesquisados pela CNI Ibope, o combate à fome, meio ambiente e combate ao desemprego apresentaram maiores percentuais de aprovação. As contrapartidas ocorreram nas áreas de impostos (com 65% de reprovação), saúde (com 63%) e a segurança pública (com 61%), pontos com as piores avaliações, segundo apontou o levantamento.

Comparativamente, a pesquisa constatou também que o governo de Dilma tem popularidade maior que a dos seus antecessores Lula e Fernando Henrique Cardoso no primeiro ano de mandato.

A pesquisa foi realizada entre 16 e 19 de março, com 2.002 pessoas. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais e para menos.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Barça vence e elimina o Milan

O Milan complicou para o Barcelona e chegou a estar classificado para as semifinais da Champions League por nove minutos. Mas um polêmico pênalti no final do primeiro tempo recolocou o Barça na frente e, com mais um na etapa final, o atual campeão do mundo fez 3 a 1 no rival italiano para chegar entre os quatro melhores clubes europeus pelo quinto ano consecutivo.

Com os dois gols marcados, Messi chegou a 51 na história da Champions League e igualou Altafini (1962-63) como maior artilheiro de uma só edição da competição com 14. Iniesta, que nunca perdeu um jogo oficial quando balança as redes, fez o terceiro.

Agora, o Barça espera o vencedor do duelo entre Chelsea e Benfica nesta quarta-feira para conhecer o rival das semifinais. No jogo de ida, melhor para os ingleses, que fizeram 1 a 0 em Lisboa.

Em 2009, o Barcelona chegou à final passando exatamente pelo Chelsea depois de empatar em zero a zero em casa e achar um gol salvador com Iniesta nos instantes finais da partida em Londres, garantindo a vaga com um 1 a 1.

O Jogo

O Barcelona começou pressionando, disposto a marcar o mais rápido possível. E logo no início Messi perdeu um gol que não costuma falhar. O camisa 10 recebeu lindo passe de Fábregas, mas, de perna direita, tirou de Abbiati e errou o alvo.

Instantes depois, porém, a defesa do Milan deu nova chance ao melhor do mundo. Messi arrancou sozinho e, ao invés de chutar, preferiu servir Xavi na área. O meio-campista foi travado, mas a sobra caiu nos pés de Messi, que acabou derrubado por Antonini. Na cobrança, o goleiro da equipe italiana caiu bem, mas a bola foi rente à trave e o Barcelona abriu o placar já aos 11 minutos.

A partir daí, o Barcelona continuou soberano em campo, com algumas investidas em que ficou próximo de ampliar. E foi aos 32 minutos que o Milan, até então tímido no ataque, chegou ao empate. Ibrahimovic dominou na entrada da área, esperou o momento da saída da zaga do Barça e lançou rasteiro, na medida para Nocerino bater cruzado e vencer Valdés.

E quando o primeiro tempo parecia terminar empatado, os donos da casa chegaram ao segundo gol aos 41 minutos. Novamente de pênalti, mas desta vez num lance muito mais difícil para o árbitro holandês. Em cobrança de escanteio, Nesta puxou Busquets e impediu o deslocamento do espanhol na área. Na marca da cal, Messi fez o 2 a 1.

Na volta para o segundo tempo a partida parecia ser mais equilibrada. Parecia. Passadas algumas tentativas sem muito perigo do Milan, Messi tentou de fora, a bola desviou em Mexés e sobrou limpa para Iniesta, que deslocou o goleiro para fazer o terceiro aos oito minutos.

Aos 15, boa chance do Milan diminuir, mas quando Robinho travou chute de Piqué, o árbitro anotou mão na bola do atacante brasileiro que já havia perdido o gol na sequência do lance. Aos 22, ótima chance para Thiago Alcântara, que substituiu Xavi e pouco depois recebeu de Messi, mas errou o alvo cara a cara com Abbiati.

Depois, o Milan ainda tentou ir para cima com Pato, mas o brasileiro, que voltava de lesão, durou apenas 15 minutos em campo e foi substituído por Maxi López depois de sentir mais uma vez. E mesmo precisando do empate, os italianos não conseguiram pressionar diante da tradicional posse de bola espanhola. No fim, já aos 42, o brasileiro Adriano perdeu chance incrível de fazer o quarto depois de invadir a área sozinho e ter tempo de escolher o canto do gol adversário.

FICHA TÉCNICABARCELONA 3 X 1 MILAN
Local: Estádio Camp Nou, em Barcelona, Espanha
Data: 3 de abril de 2012, terça-feira
Horário: 15h45 (de Brasília) 
Árbitro: Bjorn Kuipers (HOL)
Assistentes: Sander van Roekel e Erwin Zeinstra (HOL)
Cartõesamarelos: Mascherano e Cuenca (BAR), Antonini, Nesta, Mexés e Seedorf (MIL)
GOLS: Messi, aos 11 e 41 do primeiro, Nocerino, aos 32 do primeiro, e Iniesta, aos oito do segundo tempo.

MILAN: Abbiati; Abate, Mexés, Nesta e Antonini; Ambrosini, Nocerino, Boateng (Pato) (Maxi López) e Seedorf (Aquilani); Robinho e Ibrahimovic.
Técnico: Massimiliano Allegri

BARCELONA: Valdés; Daniel Alves, Piqué (Adriano), Mascherano e Puyol; Busquets, Xavi (Thiago Alcântara), Iniesta e Fábregas (Keita); Cuenca e Messi. 
Técnico: Pep Guardiola